Seguir

sábado, 5 de junho de 2010

Filme Mr. Jones. Aborda o tema Bipolaridade.




Oi pessoal,
Hoje trago uma sugestão de filme que aborda está questão. Vou escrevera resenha do filme tirei da google (Mr.Jones- Filme sosre o disturbio bipolar de 2009), relembrando que este disturbio, também pode ser chamado de transtorno( que é como eu prefiro), Psicose ou doença mental.

Vamos a resenha do filme Mr. Jones
Richard Gere, um homem de 36 anos, charmoso, impulsivo, e irresistível.
Nas primeiras cenas do filme, temos a impressão que ele é apenas exêntrico,mas no decorrer delas percebe- se que sua "alegria" demasiada, na verdade trata-se da euforia que caracteriza o que a psiquiatria denomina, como sendo um dos sintomas da bipolaridade, ou distúrbio bipolar, e que anteriormente era chamado de Psicose Maníaco Depressiva.
Isto porque há alterância nas manifestações de comportamentos, entre períodos depressivos e outros de euforia demasiado.

Mr. Jones numa de suas crises delirantes(maníaca)sobe num prédio em construção e abre seus braços "pensando", ou pelomenos dando ao entender que poderia voar.
Está é uma característica bem peculiar nas pessoas com este tipo de estrutura psíquica:- A AUSÊNCIA DO MEDO.
Eles se sentem corajosos -demais- e pensam estar insento de qualquer fatalidade, por isso muitas vezes sofrem acidentes ou provocam situações angustiantes e que geram perigos para eles mesmo, e para as pessoas com quem convivem.
O MEDO é inerente ao ser humano, e se existe é para nos proteger e para nossa sobrevivência.
é ele que nos faz usar de ponderação e de cuidados para nossa vida.
Por conta deste ato imprudente ele é internado numa clínica psiquiatra e começa a ser tratado pela Dra. Libbie Bowen,(Lena Olin), uma psiquiatra inteligênte, dedicada e respeitada, que já de início percebe que seu diagnóstico estava incorreto, já que até então ele havia sido tratado como portador de esquizofrênia paranóide.
Mas que, segundo a constelação de sintomas que ele apresentava, tudo levava a crer que ele estaria classificado dentro do aspectro da bipolaridade.
Este é um erro de3c diagnóstico muito comum, pois muitas vezes as crises confundem muito, e os profissionais médicos tem dificuldade de fornecer um diagnóstico mais preciso, o que normalmente é facilitado com o acompanhamento mais constante e sistematizado.
O que era a atitude de Mr. Jones.
Só aceitava o tratamento durante as internações, o que é muito comum entre os portadores, que assim como ele jogam também seus remédios(muitas vezes)na lata do lixo ou fingem que os tomam, pois não consideram que precisam de tratamento.

Na verdade os diagnósticos não servem prá rotular ninguém, e são utilizados para seguir uma linha de tratamento medicamentoso e/ou psicoterápico, que consiga minimizar ou eliminar os sintomas, que nascrises não deixam que a pessoa leve uma vida mais organizada.
(a vida de Mr. Jones era toda ao avesso) o que não quer dizer que não seguir um "PADRÃO" de como uma SOCIEDADE MOLDA que seja normal seja considerado "DOENÇA".
Só um profissional psiquiatra poderá fornecer o diagnósticos.

SOMOS SINGULARES E ÚNICOS E MESMO PESSOAS COM ESTRUTURAS PSICÓTICAS PODEM VIVER EM SOCIEDADE COM DIGNIDADE E TER O SEU DEVIDO VALOR.

Em psicoterapia se levada em constância e seriedade não é a "cura" que é o foco massim a importância em procurar os norteadores dos comportamentos,quais os eixos da estruturação da personalidade, pra perceber os "gatilhos" que podem disparar as crises.

Pois estruturasmentais não se curam, se conhecem,pois que somos todos feitos com a mesma forma humana.
Formas nos unificam.
O que nos diferencia é a nossa massa.
Tal qual uma forma de pão.
Com uma mesma forma pode se fazer variedades de pães.
Como nós.
Cada um tem seu valor,suas qualidades e aspectos a melhorar.
O que a psicoterapia pode fazer é tentar descobrir a quantidade do fermento necessária, a combinação dos ingredientes ou o tempo de assar o paõ no forno.


Mas porque normalmente eles não se submetem a uma psicoterapia?
Vejamos:
Se um carro faz barulho, por exemplo,eu sei que o problema não é o barulho, mas sim algo que está solto(lá dentro) que gera o barulho.
Eu tenho que descobrir qual é o problema que há por detrás do barulho.
UmA DEPRESSÃO ou EUFORIA é apenas o BARULHO, e sessões psicoterápicas podem funcionar como CATARSE, que ao descolar de si o que machuca, com a verbalização, há a aglutinação dos pensamentos e emoções.

As idéias antes difusas, disvagadoras e desligadas uma das outras, reúnem-se mais densamente e vão formando bases mais sólidas, prá que o enfrentamento com os desafios do cotidiano possam ser vividos sem fuga.
No início assessões podem ser extremanente dolorosas, pois há um enfrentamento com os fracassos, decepções,e perdas.
Já que asexperiências serão desenterradas, dissecadas,pra que sejam reconhecidas, integralizadas na consciência não pra autocobranças, mas para aprendizado e autoconhecimento, e pode doer, porque viver dói muitas vezes(prá todos nós)e também eles(os que sofrem estes sintomas)não querem está interiorização.

Este processo acontece todo, inconcientemente, ninguém tem controle destes sintomas, mas há tratamento, há como desmascarar consciêntemente as feridas, tratá-las e fazer com que cicatrizem, com a complacência, com o perdão e com a releitura dos acontecimentos e circunstâncias do passado resignificando o presente.
Quanto mais o sofrimento psíquico for tratado conscientemente, menos recorrência de episódios psicóticos podera haver, uma vez que com a aceitação do lado obscuro da personalidade "SOBRAM" cada vez menos contéudos "PARALISADOS" pra eclodir nas crises.
A PSICOSE NADA MAIS É DO QUE UMA FUGA DO MUNDO REAL.É apenas um "barulho" que precisa ser investigado a "causa".

Filmes como este ajudam as pessoas a acabar com os estigmas que atormentam a vida dos portadores desta estrutura psiquíca e desuas famílias.
Eeste filme é recomendado especialmente aos familiares, para que consigam entender um pouco mais seus filhos, seus maridos, como pessoas que "queimam" sua chama de vida mais rápido do que as outras, porque vivem tudo passionalmente, intensamente,e se consomem muito rápido.
Fatores como problemas familiares, profissionais, sentimentais,são como mais oxigênio prá que eles se consumam mais rápido


Bom vou pular uma parte e da resenha e ir para o sentimento mais sublime o AMOR...

A Dra.Libbie que tratou dele e cuidou se envolve afetivamente com Mr. Jones durante o tratamento, vivem uma noite de amor,e ela diante da ética profissional pede afastamento de sua profissão, emj nome do amor que sentia por ele.
Este amor dela por ele é digno de muitas reflexões, pois que diariamente temos exemplos anônimos que tem este tipó de atitude.

É o amor que é doação, que é entrega e abandono de si.
É uma escolha que eu faço pelo outro.
E esta forma de amor, ninguém tem o direito de julgar, pois dele não sefala, somente se vive.
E SÓ SABE DELE QUEM O VIVE.

Quando amo, amo e ponto.
Quando escolho amar é porque aceitei me responsabilizar por essa pessoa, aceitei a viver junto com está pessoa, não importa como ela seja, e deque estrutura mental ela pertença.

O AMOR DA DR.LIBBIE É UM VERBO.
MAS UM VERBO INTRANSITIVO.

Sem objeto e sem sujeito, pois o amor dissolveu e sublimou todas as diferenças que haviam entre eles.
É o amor não dito, mas que é vivido, que torna-se quem ama.
Quem ama, quando vive este amor, torna-se o amor.
Amor que é uma escolha.
A Dr.Libbie escolheu amar Mr. Jones.

E na última cena do filme, (belíssima) -e digna dese voltar a fita algumas vezes- ele sobe no mesmo prédio, onde no início do filme ele havia sido internado, e desta veza ao invés de ambulâmcias, sedativos e internação, Libbie sobe o telhado também, e o chama docemente, (ai..que a gente fica com o coração na mão quando elevai dando os passos de retorno dos caibros para um lugar mais seguro)...ele obedece e ela lhe dá a sua mão, - mão que parece um feixe de luzna escuridão deste homem- ele vem...

Jung dizia que: "SOMENTE O QUE REALMENTE SOMOS TEM O PODER DE CURAR-NOS".

E foi novamente o amor a grande mensagem deste filme...o amor que cura e recria uma vida...que consegue "resgatar" o que já somos...(mas nem sabíamos)Tereza 21.11.2009.

Texto da resenha analisada dentro dos conceitos da psicologia Analítica Junguiana de Carl Gustav Jung- discípulo de Freud

-------------------------------------------------------------------------------------

Bom pessoal, como vocês perceberão o filme é lindoo, apesar de todos altos e baixos...me pergunto o que leva uma pessoa amar desta forma(a Dra. Libbie), sem preconceitos, aceitando as diferenças da psique humana...

Eu como pertenço a este transtorno também penso, é dificil amar e deixar-se amar...pois eu sei que a outra pessoa tem que amar incondicionalmente e é extremanente difícil e egoista ser assim, esperar que o outro d aceite(só em filme,rsrsrsrs)

Por isso eu prefiro me proteger do amor, ser um escudo, eu sei até onde posso ir e onde tenho que cair forra( as vezes no primeiro encomtro, hehehehe)as vezes pode durar um pouco mais,mas no final quando me percebo envolvida do um jeito de cair forra mesmo que seja de alguma forma inconsciênte...sei que amar é bom e sentir -se amado melhor ainda...MAS SÃO TANTAS EMOÇÕES...que o melhor é ficar escondido, fugir delas, pra não decepcionar ninguém, não quero ser um peso na vida de outra pessoa, gostaria deser uma pluma(rsrsrsr), mas não sou...

Já estou me preparando para viver só e estou gostanto, não ter que dar satisfação da minha vida pra ninguém, é o lado bom...o outro lado é quando penso na velhice sem ter uma pessoa para recordar o passado ter ao lado um amor, um cúmplice,um companheiro, um amigo...

Sei lá, ainda tenho tantas dúvidas e medo em relação ao amor sei que ele pode detonar uma pessoa e não sei se um dia vou estar pronta novamente para amar e deixar ser amada...

Este é um assunto ainda difícil pra mim de pensar, sentir, perceber,escrever;é o "barulho" do meu carro(rsrsrs)
E não quero ter um novo e sério relacionamento com este "barulho" quero primeiro encomtrar a peça para concerta-la, mas já a encomtrei a anos(nas terapias), mas é tão difícil de mecher...é dolorido e está guardada a sete chaves dentro de mim...

Eu sei que as vezes passo por fria, sem sentimentos, aquela ali só que farra, diverção,não quer nada com nada, só tá tirando uma onda da nossa cara...e por ai vai...

Mas não é verdade quando penso em tudo dói muito, como eu gostaria de não ser tanto escudo, tanta razão...sabe chego a me imprecionar com a força que tenho de não me deixar envolver...parece que sigo um padrão a anos...EU SOU MAIS EU, E ME BASTO...

As vezes imagino como uma adolecênte( que o princepe encantado está pra chegar)e ele vai me entender,e fazer de tudo pra quebrar o escudo e conseguir chegar em mim...mais daí logo acordo...Heloooo!! estamos em 2010...

Não tenho mais o que escrever, adoraria ter mas ainda é dificilfalar em "amor" e acreditar nele...mas como nada é por acaso, talvez algum dia eu descubra ou tire uma lição disto tudo...que também ainda não descobri...da pra notar que é um assunto extremamte confuso...

Peço desculpa pelo tempo que fiquei sem escrever, mas minha concentração não estava boa e ficar sentada escrevendo, pensando...só de pensar eu achava um saco(rsrsrsr)

Bom pessoal, até outra hora.
Bjo

3 comentários:

Denio disse...

Oi Cristina, primeiramente atendendo um chamado teu na comunidade Uruguaienense, e dizer que teu Blog está muito legal e com assuntos bem interessantes, só quero dizer que no mundo atual a dor nos ajuda a crescer, pois ela vem nos arranca da razão mas depois nos devolve a sanidade, eu digo que temos que procurar fazer as coisas que queremos e que nos dão prazer, o grande mal da humanidade é que todo mundo tá no lugar que não queria ficar e aí tu já viu é só stress, um abraço Denio

Denio disse...

Cristina, te adicionei, quando temos que lutar por algo que não dominamos é dificil, quando incluimos tantos "se" em nossa vida patinamos e não saimos do lugar, eu acredito na força, na vontade de querer alguma coisas, assim foi toda a minha vida, é claro não tive que conviver com um aliado que não deixa eu ser dono da situação, mas se esconder não sei se é caminho, uma vez li um depoimento de uma pessoa que era super stressada, tomava muitos remédios, sessões de terapia e tudo mais, uma vez em uma acidente de carro ficou tetraplégica e aí ficou pior não pelo contrário aprendeu a enxergar o mundo de uma outra cadeira, mudou o sofá,deu um outro sentido para a sua vida, começou a fazer coisas que antes nunca poderia, e hoje ela diz quando perguntam "como conseguiste te livrar da depressão" e diz quebrando o pescoço>>
As vezes estamos tão envolvidos em nosso mundo que não enxergamos um palmo a nossa frente e nesse percurso que pode estar a solução de nossos problemas, as pessoas hoje tem muitos medos é como um BÄU onde decidimos deixar fechado toda a nossa vida ou os pedaços dela, não lutamos contra aquilo que nos fez tanto mal e enquanto você não achar a chave para abri-lo não conseguirá entender a razão da propria existência, somos egoistas demais para isso, pois nos basta sofrer sozinhos ou botar a culpa nos outros para justificar nossas ações.
Temos agir mudar nosso foco olhar em outras direções, as pessoas hoje se cruzam mas não se enxergam estamos todos cegos, pois nosso mundinho é o bastante, recentemente por inciativa minha reuni todos os meus amigos de Uruguaiana que não via a mais de 10 a 15 anos em SC, fui achando convidando e insistindo até que todos fomos e foi a coisa mais espetacular que me aconteceu nestes ultimnos 10 ou 15 anos, recordar é viver e nosso passado é nosso futuro assim dizia os "Mutante" (banda), mas sei que não é fácil mudar nossos paradigmas são como limo grudados em nossa alma e as vezes temos que conviver com eles para toda vida, mas digo só uma coisa "MUDE PARA VIVER" é bom e pode nos fazer enxergar que existe a "FELICIDADE" nos lugares que menos esperamos.

falando sobre bipolaridade disse...

Oi Denio, obrigado por add.
Gosto muito dos teu comentários,adorei tua iniciativa d reunir tua galera,é uma boa idéia, hehhe
Com concordo q é dificilromper com nossos paradgmas, mas como falaste se não fizermos, não saberemos o que poderia ter acontecido.
Vou pensar nisso com carinho.
Bjãooo